sábado, 11 de junho de 2011

(Re)conhecimento

I just want to be there when the morning light explodes
On your face it radiates
I cannot escape
I love you 'till the end

Eu abro meus olhos lentamente, nessa minha mania de abrir os olhos durante a noite e verificar se estou viva, segura. Procuro a parede cor-de-rosa do meu lado esquerdo, e noto que ela está branca agora. Susto. Ela sempre fora rosa desde uns quatro ou cinco anos atrás, quando decidi que a parede ao lado da minha cama seria bordô, e meu pai mandou pintarem de rosa bebê. Essa parede branca não é a minha parede rosa. Então abro mais um pouco os olhos, mas não me atrevo a movimento algum - ainda não sei onde estou. Vagarosamente, arrisco esticar uma das mãos para tocar na cabeceira da cama. E não há cabeceira. Então essa cama sem cabeceira também não é a minha cama. Novamente o susto. E por que é mesmo que está tudo tão claro assim de madrugada? Ah, sim. Deve ter amanhecido. É, certamente... mas, o meu quarto também não tem janelas. Essas casas antigas e conjugadas, sabe? De quando as pessoas eram cinzentas dentro de seus pequenos cômodos particulares, mas com um quintal enorme onde receber o sol. Mas aqui, aqui na cama, tão diretamente o sol? Não, esse não é o meu quarto. Céus, não é o meu quarto. Penso desesperada que algo de muito errado acontecera, e que talvez eu estivesse presa em algum sonho. Mas paro a respiração e vejo que é real. Meu cérebro dispara aquele alarme que me faz inspirar o ar novamente, com toda a força. Então inspiro e desistindo de tanto controle, solto de vez. Vou acordar, penso. E é quando um braço me envolve e alguém ao meu lado também suspira forte. Acordei ele, me lembro. ELE. E de repente estou viva. Estou viva e segura e acordada. Eu sei onde estou: ele esteve dormindo ao lado, então eu estou no lugar certo. E me viro vagarosamente para vê-lo. Para ter certeza, sabe? É a enésima noite que durmo aqui e ainda se parece tanto com um sonho, ainda guarda tanta sorte, que me acordo alheia e de repente é preciso verificar. Me viro e sim, que lindo, aqui está ele de olhos fechados, foi só um suspiro. Fecho os meus novamente e bem apertados, toda contente por dentro. Então sinto sua mão tocando de leve o meu rosto, como quem também verifica se sou eu quem está ali, e se realmente estou. Decido não abrir os olhos, deixo que ele arraste os dedos pelo meu cabelo e enfim, sorrio. Será que ele também acordara perdido? Penso, mas não pergunto. Até que bem baixinho, bem levinho, bem quietinho, ele me diz: te amo. E nessas palavras, nessa fração de minuto, é que eu me encontro. "Também te amo."

17 comentários:

  1. Que lindo Lari! Momentos de medo e insegurança que são levados por um abraço e um suspiro.

    Que texto delicioso de ler! E que vontade de reler e reler...
    Maravilhoso!

    Beijão querida =*

    ResponderExcluir
  2. QUE LINDO ESSE TEXTO MENINA!
    É normal se sentir dessa forma quando estavamos acostumados a uma outra realidade, as inseguranças aparecem sempre. Só que tudo se torna diferente quando encontramos lá no cantinho o espelho que reflete a nossa felicidade, a nossa nova vida.

    Beijinhos, se cuida s2

    ResponderExcluir
  3. Cara, que texto mais lindo! Adorei.
    Meus parabéns pelo texto, guria continua assim que vais longe! :)

    Uma ótima semana pra ti! Bjoos

    ResponderExcluir
  4. Não tem noção de como foi familiar esse seu conto. Parecia uma história minha, só que eu não soube descrever.
    Lindo lindo mocinha :)

    ResponderExcluir
  5. Lindo lindo lindo lindo :D Amei esse texto :)

    Bem, obrigada pelo comentário, pela opinião, tambem estou a seguir :D

    ResponderExcluir
  6. É o tipo de texto gostoso de se ler, é o tipo de texto que você acaba e nem percebe, aquele que te deixa suspirando e querendo mais. Eu simplesmente adorei, adorei mesmo. Tão rico de simplicidade.

    ResponderExcluir
  7. Que lindo!

    Daqui a pouco será minha vez :D Sim, estarei de mudança com o meu amor.
    E só de imaginar que poderemos acordar juntinhos, abraçados e com sussurros de "eu te amo" logo pela manhã (mesmo com bafinho) já fico com o peito aquecido.

    Feliz Dia dos Namorados atrasado.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Que lindo flor, é normal se sentir assim ate acostumar, mas o fato de estar junto com quem ama é tão bom né?

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Que lindo *.*

    Eu sei como é, quando fiz 6 meses de namoro estava impressionada comigo mesmo, o mesmo quando fiz um ano, depois dois... E agora três. Quando falo todo mundo se impressiona também, mas sei lá. Eu não acho que estou perdendo a minha juventude presa, porque pude sair muito mais estando namorando do que se eu não estivesse. Meus pais nunca deixariam eu sair tanto. Ou seja, eu aproveito muito mais, sou muito mais livre, namorando.
    Que fofa a história do seu namoro :)
    É que se não for pra fazer planos de casar, eu nem estaria mais namorando sabe, se for pra namorar só pra namorar, só pra se magoar mais tarde, é preferível estar solteira.

    Beijão
    http://limao-e-mel.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Caramba, que texto maravilhoso. Você tem um dom incrível para escrever, nossa.

    ResponderExcluir
  11. Me deixou sem palavras, absolutamente.
    Lindo, lindo e lindo.
    Seu sentimento é lindo, muito.

    ResponderExcluir
  12. ei, você sabe qual o blog de Nátalia Reinaldi?

    ResponderExcluir
  13. Que jeito gostoso de acordar hein? hahahah


    Felicidades

    ResponderExcluir