domingo, 7 de junho de 2009

Mais uma dispensável análise de existir.

Engraçado o que acontece quando nos damos conta de que as coisas não são somente aquilo que aparentam ser. Quando passamos a dar mais atenção ao subentendido, ao oculto, ao não dito e ao não demonstrado.
Entendemos que a maioria das pessoas vive em um mundo particular, onde estão sempre estáveis, independente do que se passa ao redor. Que a maioria das pessoas considera que suas vidas sejam infinitamente mais importantes do que as outras, e raramente encontram-se disponíveis a qualquer tipo de interação.
Há inúmeras presenças imperceptíveis. Pessoas que vêm e depois se vão sem serem notadas.
E, no entanto, há algumas outras existências que interferem em qualquer movimentação à sua volta. Existências que criam laços de interdependência, mesmo que involuntariamente, com quem encontram no caminho. Existências que iniciam ações, que provocam reações; que introduzem circunstâncias, que desencadeiam incontáveis consequências. Existências de reflexos.
Dizem que a cada um de nós, cabe assumir uma única forma. Ser e também não ser. Nos definir pelas próprias escolhas, e nos dividir entre indiferentes ou excepcionalmente notáveis.
Desejar que as pessoas que amamos sejam também como as existências mais especiais - capazes de transformar imagens e provocar maneiras inusitadas de ver o que ninguém mais veria. Desejar que se entrelacem às nossas próprias vidas, para que se não puderem ser notadas por um mundo, sejam, ao menos, inteiramente percebidas em nossos corações.

12 comentários:

  1. pois é. se olhassemos mas para o lado e menos para nós mesmos, não cometeriamos um zilhão de erros.

    ResponderExcluir
  2. Amei. Aliás, eu amo todos os seus textos.
    Acho que temos que nos preocupar em ser especiais, pelo menos, para as pessoas que amamos. Só isso já vale.
    E quanto ao que está subentendido... sinceramente eu adoro pensar nessas coisas que ficam quase "escondidas"... afinal, a vida é um mistério. bjaooo.

    ResponderExcluir
  3. As pessoas são assim, o mundo é assim.

    ótimo texto.

    ResponderExcluir
  4. Sócrates dizia "Sei que nada sei e esta é minha única certeza." Quando se parte desta máxima, por si passamos a nos perguntar, passamos a olhar para nós num sentido mais profundo. É aí que encontramos os olhos que observam os demais. Dizem que no antigo Egito se dizia "olha o semblante alheio para veres tua deformação." Mas não podemos olhar para o alheio, sem antes descortinarmos os olhos que hão de ver.

    Abraço,

    R.Vinicius

    ResponderExcluir
  5. Oi moça! Fiquei sumida por um tempo, mas voltei e voltei com novidades. Estou no UtiliBlog agora, mudei de espaço na net. Espero que goste do meu novo cantinho bjo e espreo uma visita sua lá!

    ResponderExcluir
  6. as mensagens subliminares às vezes são as principais, por exemplo, numa conversa coloquial em família.
    só aprendi isso recentemente, com as comadres da cidade pequena para a qual me mudei... as mulheres são terríveis! acho que é por isso que rezam tanto, enquanto que os maridos ficam em casa dormindo com a consciência em paz. hehe

    ResponderExcluir
  7. Conversar com o espelho, faz muito bem!
    Uma certa vez, ouvir uma pessoa dizer que andamos em um fila indiana, onde nas costas das pessoas que estão à nossa frente tem uma fita, e nela tem escrito :VÍCIOS, e em nossos braços tem escrito: VIRTUDE, por isso ao olhar pra frente, sempre achamos nos outros os seus vícios, e nos enxergamos apenas com virtudes, vale apena mudar a ordem das visões!
    Adorei o blog, estarei aqui mais vezes!

    ResponderExcluir
  8. Como eu sempre falo aqui, seus textos são incriveeeis.
    nos escondemos dentro de nos mesmos pra não percemos aquilo que esta bem ali.. na nossa frente :D

    bom feriiado larii
    beijos!

    ResponderExcluir
  9. as entrelinhas sao tao ou mais importantes que as linhas.. e as peculiaridades de cada um sao o que tornam o complexo comportamento do ser humano (e o seu cérebro prioritariamente) algo tao fascinante ^^


    www.thiagogaru.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Seu blog é daquele tipo que eu ficaria o dia inteiro lendo, se pudesse.
    Suas palavras sabem direitinho como conversar com o meu coração. Eu adoro.
    Obrigada?!

    Beijo meu :*

    ResponderExcluir
  11. Oi querida flor!
    Essas análises nuunca são dispensáveis. Engraçado, eu escrevi sobre isso no meu blog... perguntas que todo mundo abafa. Mas na verdade negá-las é contra o nosso coração, contra a nossa natureza.
    Gosto desse seu raciocínio, de não parar nas aparências, de procurar mais a fundo em coisas que a maioria deixa passar. =]

    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  12. Infelizmente existem pessoas que complicam para tentar passar mais doque elas são. Se simplificassem o mundo seria mil vezes mais agradavel.
    Adorei seu texto.
    Besos

    ResponderExcluir