quarta-feira, 23 de junho de 2010

Chuva

- Preciso sair.
Ela que estava há alguns muitos minutos mais do que uma hora sentada. Sentada e quieta, aparentemente em paz, tentando suprimir a agitação imensa que se acumulava por dentro. A xícara de café exageradamente quente já havia esfriado em cima da mesa à sua frente, e ela nem mesmo havia bebido a metade, porque no fundo não gostava de café quente demais. Por alguns muitos minutos mais do que uma hora, ela se sentia aquecida por si mesma, vendo o café esfriar. Até ouvir aos poucos alguns pingos de água ferindo o chão no terraço. Um, outro e mais outro. E de repente aquele cheiro se desprendendo da terra no jardim, e aquele som de quando todas as coisas do mundo parecem ser uma coisa só. Estava começando a chover. E ela parecia despertar dizendo:
- Preciso sair.
- Sair para onde? Agora, assim, na chuva?
- Não sei para onde, só preciso ir lá fora. Na chuva.
- Você que adoece sempre, vai acabar se resfriando.
- Tudo bem - ela disse enquanto pegava as chaves e parecia correr um pouco mais leve indo até a porta, ela que por dentro estava tão pesada - eu vou mesmo assim.
- Vou pegar uma toalha para quando você voltar, então, e...
E ela já havia fechado a porta.
Era estranho que naquele momento ela não precisasse da autorização de alguém. Enquanto o céu chorava acima dela, tudo parecia ter muito mais sentido, muito mais razão. Se sentia lavada e, de alguma forma, se sentia compreendida. Aquilo parecia empurrá-la mais para dentro de si mesma - de onde nos últimos dias ela havia tentado fugir. Por aqueles minutos a chuva era dela, o mundo era dela. Ela, que se culpava por estar sentindo demais, agora se encorajava a sentir. A cena lhe parecia estranhamente com uma redenção, um pedido. E, lentamente, palavra por palavra, ela pediu. Sentia-se abrindo mão. Sentia-se aberta e agora não doía sentir-se assim. Só precisava atestar, pronunciar, permitir para a chuva que... permitir que sim.
- Sim, pode levar isso embora de mim.

8 comentários:

  1. Que delícia de texto, Lari!

    As vezes só uma boa chuva para levar consigo algumas amarguras, frustrações e sentimentos derivados. As sensações de liberdade e leveza são uma das mais intensas que nós seres humanos podemos ter.

    -- -- -- --

    Ai ai... Não vejo a hora do seu livro sair.

    A diferença entre poder estar lá e estar aqui, é que aqui eu realmente estou, e é aqui que eu realmente me encontro. Te ler me inspira à escrever, à sorrir e à uma lista enorme de tantas outras coisas boas.

    O In.diferente não seria o mesmo sem você! Não mesmo! Rs'

    Ficam aqui, como sempre, o meu beijo, minha atenção, carinho, e é claro, meu respeito à você!

    (O beijo da vovó foi retribuído com muito carinho, viu? #Smaaak ♫ )

    ResponderExcluir
  2. nossa, me deu muita vontade de tomar um banho de chuva agora... acho que na próxima vou aproveitar! haha

    Ah, e como disse o Wilian, não vejo a hora do seu livro sair. Ia ser perfeito. *--*

    beijão! ;*

    ResponderExcluir
  3. Querida florzinha,
    Esse ano está insano, eu não consigo arranjar tempo pra divagar e escrever no meu próprio blog. Mas que bom arranjar um tempinho e vir aqui.
    Suas palavras sempre são abrigo pra mim. O céu ultimamente anda tão nublado que até as estrelas somem. Espero que chova no final do ano. Ou agora. Preciso de alma lavada.
    Um grande beijo!
    Saudades

    ResponderExcluir
  4. A chuva é um alivio quando quem precisa de alento é a alma. Post incrível, belissimo, adorei! E o blog também está lindo.. :)

    ResponderExcluir
  5. Preciso andar na chuva, agora.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Ai, chuva é mesmo algo indescritível. Me é, particularmente, muito especial.

    Incrível como algumas coisas, pequenas coisas, tão simples, tem efeito enorme em nós. "Sentia-se aberta e agora não doía sentir-se assim." Chegar a esse ponto é vital. Aceitar e poder lidar é o que torna tudo mais fácil, menos dolorido. E enfim deixar ir embora.


    Tenho que confessar, foi uma surpresa te descobrir uma escritora assim, tão sensível e envolvente. Não imaginaria isso só te vendo pelo CAC jamais. É ótimo vir aqui. :)

    ResponderExcluir
  7. Ela pode lavar a alma, e levar o sangue embora.
    Parabéns! Muito bom.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Lindo demais o texto!
    já taav com saudades de passar por aqui :)

    ;*

    ResponderExcluir