sábado, 7 de fevereiro de 2009

Pisque os olhos.


As coisas acontecem tão rápido que às vezes a gente nem percebe.
Você pisca os olhos. E é só isso.
Seu sonho se torna realidade. Pisque. Seus planos se concretizam ou você, por uma simples falta de tempo disponível, vai deixando-os para depois.
Sua árvore preferida, onde antes havia um balanço de madeira pendurado com duas cordas, começa a deixar que caiam as folhas. Pisque. Você já não se balança, então isso pouco te importa.
Seus desenhos animados de super heroínas dão lugar aos noticiários, que te informam sobre aquilo que você precisa ouvir, mesmo que talvez não queira saber. Você pensava que mudaria mundo. Piscou os olhos, e lá estava o mundo modificando você.
Sua família já não está naquele porta retrato. Ela cresceu, depois diminuiu, depois cresceu outra vez. Novos rostos nasceram, outros se foram e não vão mais voltar. Foi preciso outra foto, e você nem reparou.
Suas manias eram defeitos infantis. Pisque. Elas são aquilo que te mantém, como dizem, ‘especial’ diante do restante das pessoas. Você odeia comparações, mas é assim que funciona. E quando te comparam com todos os outros, aglomerados numa multidão, suas manias são aquilo que te faz ser diferente. Nem que seja, ao menos, reconhecível.
Um dia desses, você estava chorando no pátio, porque não sabia o que era um colégio, e queria voltar para sua casa, para se esconder debaixo do cobertor cor de rosa. No outro dia, você não queria voltar tão cedo, porque a brincadeira estava ficando divertida. Depois lá estava você, usando caneta pela primeira vez. Hoje, você amplia seus pontos de vista. Já sabe o que é colégio, já sabe que pode voltar sozinha para casa. Quer saber até onde o mundo alcança. Ou até onde você tem possibilidades de alcançá-lo.
Seus amigos brincavam de correr com você. Pisque. Hoje eles falam sobre assuntos que nem sempre te interessam.
Seu pai costumava dizer que você era uma princesa, e te fazia acreditar em encantamentos. Você piscou. E como numa dessas histórias encantadas, a magia deixou de ser tão verossímil.
Não havia nada de pretensioso quando, pela primeira das vezes, você olhou para aquele sorriso. Pisque. Hoje, ele te dá a capacidade de sorrir também. Duas mãos se encaixam por uns minutos, e talvez elas nunca mais possam separar-se. Depende de quem as encaixou. Pisque. E elas se juntam novamente.
Você precisava escolher qual a sua cor preferida. Uma piscada. Agora você precisa escolher o que fazer com toda a sua vida. Suas ideologias, suas crenças e seus valores. Não é mais simples como vermelho ou azul.
Você tenta segurar os olhos abertos, mas é lutar com o incontrolável. As coisas giram, não é só a órbita do mundo. E são tão rápidas que surgem e desaparecem num estalar de dedos. Num piscar de olhos. Você pode dizer que não é verdade, que é tudo permanente, imutável, seguro e absoluto.
Então prove. Pisque.

13 comentários:

  1. Texto perfeito!! Sabe de uma coisa? Vou ser sincera contigo...há blogs que são bons, há blogs que a pessoa tem boas idéias, mas não escreve tão bem, há blogs que possuem exatamente aqueles textos que tu adoras ler e ainda por cima a pessoa escreve bem! O teu está nesse último aí! ;)
    Adoro esse estilo de texto, não sei explicar muito bem, mas sei que adoro! E melhor ainda, admiro quando uma pessoa escreve bem!
    Parabéns pelo blog! Estou te acompanhando já!
    beeijo!

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente LIN.DO !

    Amei textoo !

    Beijos
    Lêe Oliveira - oleeh.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Menina, que belo!

    Existem blogs que chamam atenção pelo layout, outros fazem questão de aparecer pelo texto, mas o seu... chama a atenção.
    Como às vezes nós nos sentimos como se a vida fosse um carrossel, que roda e roda e a gente não pode parar. Mas isso é tão desconfortável! É como um filme sem protagonista, um conto sem mocinha.
    Realmente, eu acredito que as coisas passam. Mas se eu não tiver uma certeza, não posso pegar as rédeas da minha vida e parar de ser como uma folha no meio das ondas...

    Gostei muuuuito mesmo do seu texto. Tô acompanhando!
    Um beeeijo!

    ResponderExcluir
  5. muito bacana seu blog,adimio blogs assim, simples e verdadeiros,otimo post.
    bom gostaria de saber se vc topa participa de uma entrevista para o Na Mira?

    caso queira só passar seu msn!

    http://na-minha-mira.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. A princípio vim só pra agradecer o comentário lá no meu blog, mas depois desse excelente post tive que parar pra comentar aqui também. Gosto do estilo, você fez realismo sem dar margem ao pessimismo, não sei se foi essa mesmo a intenção mas parabéns. Vou vir aqui mais vezes.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Leitura tranquila, vc dissertou acerca de um dos aspectos da condição humana que por quase unanimidade é abordado bucolicamente, mas com uma ótica peculiar a si: ponderada, madura e com a sábia serenidade de uma anciã.
    Se, ao nascermos, já começamos a morrer, a Fé amadurecida pela reflexão dissipa qualquer ânsia de retrocesso ao passado ou anulação dos efeitos do Tempo.

    ResponderExcluir
  8. Seu texto é fenomenal,muito profundo sério mesmo...me deixou arrepiado,você escreve bem demais,blog espetacular o seu...só digo isso...

    Nando Targino...

    ResponderExcluir
  9. Obrigada Larissa..
    Sobre o seu post.. tah lindo !!
    A vida é bem assim mesmo..tudo acontece num piscar de olhos !!
    Bjos ( seu blog fica ainda melhor a cada post! Parabéns !!)

    ResponderExcluir
  10. Já disse que amo o uso do ponto final né! Achei o uso no seu texto realmente perfeito! Principalmente pelo fato do "Pisque". Lindo, lindo.
    É bem assim mesmo, as coisas acontecem, e quando você vê, passaram. Num piscar de olhos.

    ResponderExcluir
  11. "Um dia desses, você estava chorando no pátio, porque não sabia o que era um colégio, e queria voltar para sua casa, para se esconder debaixo do cobertor cor de rosa. No outro dia, você não queria voltar tão cedo."

    Gostei dessa parte, acho que as mudanças semprea vão está em nossas vidas. Apredemos muito. Quando nascemos não sabiamos andar, depois de uns 2 anos estamos correndo, outrora começamos a falar.

    Legal, que mudanças sempre tras mudanças.

    Obrigado pela visita, também voltarei ao seu blog.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  12. Ei, ei, ei!
    O que foi que aconteceu, mocinha? Eu acabei de passar no seu fotolog pra comentar e ele estava sem poder receber comentários com uma frase estranha... =x

    Que texto liiindo, Larii *-* a cada dia você se supera mais e mais! Tudo, como muda drasticamente, como num piscar de olhos, inevitavelmente.

    :***** (L)

    ResponderExcluir
  13. A vida passa tão rápido né? Já faz dois anos que a gente se conheceu, quem diria...
    Muito bom esse também lari, continue sendo essa menina tão perfeita que você vai muito longe.

    ResponderExcluir